Saturday, March 2, 2024
Google search engine
InícioESGInvestimentos em tecnologia climática devem atingir 600 bi de euros anuais até...

Investimentos em tecnologia climática devem atingir 600 bi de euros anuais até 2030, aponta relatório

Segundo relatório divulgado esta semana pela Allianz Trade, os próximos anos serão fundamentais para determinar o sucesso da transição global para o Net Zero e definirão o cenário da futura economia verde. 

De acordo com o report ClimateTech: the missing piece in the net zero puzzle, desenvolvido por economistas da Allianz Trade em parceria com a UVC Partners, Allianz X e UnternehmerTUM, a autonomia energética europeia e a meta de 55% de redução nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) até 2030 exige um setor de tecnologia climática competitivo. 

Os economistas explicam que isso criaria benefícios não apenas na mitigação das emissões, mas também para o crescimento econômico, já que o setor de tecnologias de energia limpa fabricadas em massa deverá atingir um valor anual de 600 bilhões de euros até 2030 – o triplo do seu valor atual. 

“Além dos investimentos substanciais em tecnologias de energia limpa existentes e na infraestrutura geral de energia limpa, o aumento do apoio financeiro, tecnológico e regulatório para a inovação em ClimateTech “made in Europa” é essencial se a União Europeia quiser manter o papel de líder climático”, acredita o Diretor de Crédito da Allianz Trade Brasil, Felipe Tanus. 

Corrida por energia limpa

O setor de tecnologia climática deverá triplicar, atingindo um mercado de 600 bilhões de euros até 2030. No entanto, a posição da Europa nesse mercado emergente não pode ser considerada garantida – sem mais esforços, a Europa provavelmente perderá a corrida contra os EUA e a China.

Atualmente, a China já está liderando os investimentos em energia limpa, gastando quase 500 bilhões de euros em 2022, enquanto os EUA turbinaram seu financiamento em ClimateTech fornecendo centenas de bilhões de dólares para projetos relacionados a energia e clima projetos relacionados a energia e clima em sua Lei de Redução da Inflação (IRA).

O desencontro entre a realidade e as expectativas é alarmante. Para atingir suas próprias metas climáticas, de acordo com os economistas, a Europa precisa aumentar seus investimentos anuais em investimentos anuais em tecnologia climática no valor de 140 bilhões de euros no setor público e 560 bilhões de euros no setor privado, em comparação com a última década. O atual déficit de investimento apenas no setor energético europeu é de EUR 200 bilhões por ano, com EUR 40 bilhões e EUR 160 bilhões de financiamento público e privado, respectivamente. 

Lacunas tecnológicas

No entanto, o estudo também aponta que o investimento não é a única coisa que está faltando, mas também tecnologias mais inovadoras. O gráfico revela que as tecnologias maduras de hoje contribuirão apenas com 25% da redução adicional de emissões de CO2 necessária após a implementação de políticas declaradas para alcançar o cenário de desenvolvimento sustentável da IEA. 

Consequentemente, mais de 75% da redução de emissões alcançável no longo prazo precisa de novas tecnologias inovadoras que estão atualmente em fases de protótipo, demonstração ou adoção antecipada*.

*A “adoção antecipada” refere-se a tecnologias para as quais alguns projetos já chegaram aos mercados. Exemplos são a energia eólica offshore, baterias de rede e bombas de calor industriais. Exemplos de “demonstração” são a captura de carbono em fornos de cimento, amônia eletrolítica à base de hidrogênio, metanol e grandes navios elétricos a bateria de longa distância. Grandes “protótipos” incluem embarcações movidas a amônia, produção de aço à base de hidrogênio eletrolítico e captura direta de ar. 

Call to Action: O que é necessário? 

Embora o financiamento de start-ups e empresas de ClimateTech tenham possibilitado grandes avanços nos últimos anos, a construção de uma e, acima de tudo, indústria competitiva globalmente, o setor de ClimateTech requer ainda mais esforços, tanto do setor público e do setor privado na Europa. 

Embora o dinheiro seja fundamental, os economistas acreditam que outras melhorias igualmente importantes devem ser postas em prática – desde a redução da burocracia até a atualização da regulamentação:

– Agilização do financiamento (tornando-o mais fácil e menos burocrático). Solicitações demoradas, bem como extensa documentação depois que o financiamento é concedido para o desenvolvimento de start-ups. 

– Criação de uma plataforma comum da UE para acessar o financiamento público da UE e de fontes nacionais (navegação mais fácil pela infinidade de esquemas diferentes), incluindo a possibilidade de estender a cobertura para iniciativas de financiamento privado. A plataforma deve apresentar práticas recomendadas, diretrizes, troca mútua de experiências e consultoria para navegar no cenário de financiamento da UE. Por sua vez, essa plataforma reunirá percepções sobre as necessidades e os desafios das start-ups para embasar o desenvolvimento de políticas.

– Melhorar o financiamento de longo prazo por meio de um financiamento, semelhante ao que já é feito no caso do hidrogênio.

– Obrigar a aquisição de novas soluções e serviços de ClimateTech e de serviços públicos, pois eles podem assumir riscos maiores e são os primeiros usuários dos primeiros sistemas do gênero. As licitações poderiam ser projetadas especificamente para atrair empresas de ClimateTech de última geração.

– Os requisitos devem poder ser atendidos por startups/em escala: por exemplo, levando em conta a especialização e a novidade, além da estabilidade financeira e da experiência. As propostas também podem ser divididas em ações para permitir que empresas com menor capacidade possam participar. Elas poderiam permitir que sistemas que ainda estejam sendo testados ou em fase piloto.

– Integrar mais start-ups e novas empresas de tecnologia no processo de formulação de políticas para moldar o ambiente regulatório e de financiamento.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

MAIS POPULARES