Thursday, July 25, 2024
Google search engine
InícioStartupsStartups unicórnios: há espaço para inovação no mercado    

Startups unicórnios: há espaço para inovação no mercado    

Nos últimos anos, o mundo empresarial tem testemunhado o surgimento de um fenômeno: as startups unicórnios. Essas empresas emergentes têm encantado a imaginação de empreendedores, investidores e entusiastas do setor tecnológico devido ao seu rápido crescimento e valorização extraordinária.

O termo “unicórnio” foi cunhado para descrever startups avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares. A principal característica é a inovação no mercado em que pertence. Essas empresas têm a capacidade de fazer algo totalmente fora do que já foi pensado.

Apesar de a porcentagem de startups que alcançam esse patamar ser ínfima, considerando o total de empreendimentos, muitas pessoas começam a jornada fascinadas com a ideia de se tornarem um unicórnio. “Eu costumo dizer que empreender é como pular numa piscina sem saber a quantidade de água que tem dentro”, diz o CEO da Silver Hub, uma aceleradora de startups especializada em soluções digitais para o público sênior, Cristián Sepúlveda.

As estatísticas reforçam essa ideia, considerando que cerca de 70% das startups fecham antes de completar 20 meses de funcionamento, e outras 50% não apresentam resultados. Os dados são da Associação Brasileira de Startups, a Abstatups.


Entretanto, mesmo com estatísticas nada animadoras, o Brasil é um pólo de startups na América Latina, abrigando cerca de 13 mil empresas, o que representa 62,9% do total do continente. Além disso, o país concentra o maior número de unicórnios, que são startups que atingiram um valor de mercado de US$ 1 bilhão antes de abrir seu capital em bolsas de valores. Os dados são do relatório Panorama Tech, elaborado em conjunto com o Distrito, o Softbank Latin America Fund e o Upload Ventures.

O estudo ainda pontua que atualmente, existem 24 unicórnios brasileiros, enquanto México e Argentina possuem sete cada, Chile tem três, Colômbia tem duas e Equador e Uruguai têm um cada.

As 45 startups da América Latina que atingiram o status de unicórnio levaram, em média, 8,5 anos para alcançar esse patamar. O avanço do ecossistema de inovação na América Latina tem impulsionado o surgimento de novos unicórnios. A grande maioria dessas empresas foi fundada a partir de 2011.

Esses números demonstram o crescimento e a força do ecossistema de startups no Brasil. O país tem se destacado como um hub de inovação e empreendedorismo na América Latina. “Independentemente do resultado do negócio, o que se aprende nessa jornada é transformador, tanto do ponto de vista técnico, quanto do ponto de vista do desenvolvimento das soft skills. Por isso, um dos principais skills que um empreendedor deve ter é a sua capacidade de resiliência”, diz Sepúlveda.

As tendências 

O avanço da tecnologia e da medicina está possibilitando uma mudança significativa na expectativa de vida. Por outro lado, existe a tendência de que as pessoas estão tendo menos filhos. Esses aspectos estão invertendo radicalmente a pirâmide etária, ou seja, nossas sociedades estão começando a envelhecer aqui na América Latina.

O impacto do envelhecimento será notado ainda mais nos países na América Latina, uma vez que essa região passa por um significativo processo de envelhecimento da população. Em 2090, o continente terá a maior proporção de pessoas com 60 anos ou mais no mundo, atingindo 36,4%.

Enquanto a população envelhece, surgem novas oportunidades para inovadoras startups atuarem no mercado da longevidade, oferecendo soluções surpreendentes que desafiam os limites do tempo e proporcionam uma nova perspectiva sobre o envelhecimento. São as chamadas agetech. Elas vão revolucionar a forma como vivemos e envelhecemos.

Na opinião do executivo, as startups unicórnios que atuam no mercado da longevidade estão desbravando um caminho fascinante rumo a um futuro em que viver mais e com qualidade é uma realidade tangível. “Suas inovações estão desafiando as fronteiras do conhecimento científico e tecnológico, trazendo esperança para uma população que deseja desfrutar de uma vida longa e saudável. O sucesso dessas startups é um testemunho da capacidade humana de inovar e transformar o mundo em que vivemos, redefinindo o que é possível no campo da longevidade”, relata Sepúlveda.

No entanto, o executivo reflete: é essencial que a sociedade acompanhe de perto esses avanços e garanta que eles sejam utilizados de maneira ética e responsável, garantindo que todos possam se beneficiar desse novo paradigma da longevidade.

As Agetech

As startups unicórnios da longevidade não se concentram apenas em aumentar a expectativa de vida, mas também em melhorar a qualidade de vida à medida que envelhecemos. Algumas startups estão desenvolvendo tecnologias médicas revolucionárias, como terapias genéticas, medicina regenerativa e inteligência artificial aplicada à saúde. Essas tecnologias prometem tratar doenças relacionadas à idade e melhorar as capacidades do corpo.

Outras soluções criadas pelo segmento da longevidade são as startups que disponibilizam dispositivos inteligentes e plataformas de monitoramento para permitir, que os idosos vivam de forma independente por mais tempo. Isso inclui desde sensores de movimento até assistentes virtuais que ajudam nas tarefas diárias.

No campo da Nutrição, está no radar dos executivos das agetechs desenvolver suplementos alimentares e dietas personalizadas para promover a saúde e prevenir doenças associadas ao envelhecimento. Ao pensar em saúde mental e bem-estar estão as startups focadas em terapias online, aplicativos de meditação e outras soluções para melhorar o bem-estar emocional.

Os Desafios e o Futuro

Embora os unicórnios estejam trazendo inovação e esperança para o mercado da longevidade, ainda enfrentam desafios complexos, como questões regulatórias, éticas e financeiras, além de garantir que suas tecnologias e serviços sejam acessíveis a todos.

“Está claro que há um mercado promissor e muito ainda a ser explorado, as startups estão fazendo avanços significativos em várias áreas. Pouco a pouco este mercado, que já está em ascensão, entregará muito mais e fará diferença real na vida das pessoas, além de atraentes dígitos aos investidores e empreendedores”, finaliza Sepúlveda.

Unicórnios do mercado de longevidade

  • Startups unicórnios que atuam no mercado de longevidade:
  • InnovAge – Valorização R$ 2,8 bilhões: A InnovAge ajuda os idosos a viver a vida de forma independente, pelo maior tempo possível;
  • True Link – Valorização no momento do IPO R$ 2,8 bilhões: Uma empresa de serviços financeiros diversificados dedicada a fornecer serviços para grupos demográficos em risco, como idosos e deficientes;
  • Carecom – Valorização USD $ 550 milhões: Cuidados com idosos;
  • Pillpack – Vendida para Amazon USD $ 1 bilhão: Farmácia digital;
  • Greatcall – Adquirida pela Best Buy por USD $ 800 milhões: O fornecedor líder de serviços de monitoramento remoto passivo para cuidados contínuos de idosos;
  • Papa – Valorização 1,4 bilhões: Combina adultos mais velhos com “Papa Pals” treinados para combater a solidão e o isolamento;
  • Honor – Valorização $1,25 bilhões: Cuidados em casa para idosos.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

MAIS POPULARES